Varejo online no Brasil: ainda está em alta?

Varejo online no Brasil: ainda está em alta?

Durante a pandemia de COVID-19, medidas de distanciamento social (como o fechamento de lojas físicas) ocorreram em todo país, aumentando a procura pelo varejo online.

De fato, essa migração para as compras feitas a distância foi um verdadeiro sucesso no país, fazendo com que muitos empreendedores mantivessem o seu sustento, assim como permitiu que outros começassem a empreender na internet.

Empresas de delivery de comida, mercado, roupas, itens de higiene pessoal e, até mesmo, farmácia viram suas receitas nesses canais aumentarem exponencialmente em 2020 e 2021.

No entanto, o que muitas pessoas acreditavam é que depois do afrouxamento das medidas de distanciamento social, a tendência é que a busca do brasileiro pelo comércio eletrônico seria menor, já que as pessoas poderiam ir às lojas físicas novamente.

Mas será que a realidade foi essa? Diversos dados mostram que os números do varejo online do Brasil estão muito acima de qualquer estimativa, o que indica que a força desse meio de vender continuará em alta por muito tempo.

Inclusive, vale a pena conhecer esses dados e entender como está o panorama do comércio digital no Brasil. 

Pensando nisso, fizemos esse conteúdo. Continue a leitura e entenda o que esperar sobre o varejo online brasileiro.

Dados sobre o varejo online no Brasil

Os dados sobre o varejo online no país são fundamentais para entender mais sobre o potencial do setor. 

Para começar, 88% dos brasileiros afirmam comprar na internet e costumam adquirir em maior quantidade:

  • Roupas e calçados;
  • Itens de mercado;
  • Eletroeletrônicos;
  • Cosméticos;
  • Itens de farmácia;
  • Decoração;
  • Materiais de construção.

Outro dado que chama a atenção é o volume de compras. 

Só em 2021, foram registradas 78,5 milhões de compras, com o ticket médio de R$ 447,90. Isso mostra que a população não poupa quando o assunto é comprar online.

Com tantas pessoas movimentando o comércio eletrônico, o faturamento desse canal também tem resultados positivos e surpreendentes. 

Em 2021 foram registrados R$ 161 bilhões de reais movimentados diretamente dentro do varejo online.

Só com essas informações, já é possível perceber que as compras online viraram uma realidade para muitos brasileiros, que adquirem os mais variados produtos.

No entanto, mesmo com tantos dados que mostram o aquecimento do mercado digital, algumas pessoas ainda acreditam que esse aumento de compras foi causado unicamente pela pandemia e tende a cessar a curto prazo.

Mas os dados da CNN mostram que não. 

O e-commerce (mesmo depois do afrouxamento das medidas de distanciamento social) continua crescendo, apresentando aumento de vendas de 20,56% em janeiro de 2022 em comparação com o mesmo período do ano anterior.

É necessário migrar para o digital?

Muitos gestores ainda se perguntam se tendo uma loja física é necessário migrar para o digital.

A verdade é que não se deve deixar a loja física de lado, mas criar uma presença digital pode fazer com que os negócios sejam expandidos geograficamente. 

Lembre-se que a quantidade de pessoas que preferem comprar pela internet só cresce, ao passo que esse tipo de transação é mais fácil e rápida para consumidor e empresa.

Por último e não menos importante, o investimento no digital é menor, assim como a operação é mais simples. Muitos donos de lojas online precisam apenas de uma sala para manter o estoque e um sistema integrado para fazer as entregas.

Há ainda a possibilidade de adaptar as operações digitais para que sejam atendidas dentro do próprio ponto de venda físico.

Como vender mais na loja virtual?

Se você já tem uma loja virtual e quer fazer parte das estatísticas positivas do varejo online, pode tomar algumas decisões para vender mais.

A principal funcionalidade procurada pelas pessoas é a total responsividade do site, onde o usuário pode fazer compras tanto por telas grandes (como a do computador), mas também as menores (de celulares e tablets).

Outro ponto de atenção é o carregamento rápido e facilidade de uso.

Depois, não se pode esquecer da segurança dos dados, segundo a Lei Geral de Proteção de Dados e a entrega mais rápida possível.

É importante também contar com ferramentas que permitem um atendimento centralizado, como o MKChannels, para ter maior assertividade nas suas campanhas de marketing.

Interessante como o varejo online é uma grande oportunidade para diversos segmentos, não é mesmo? Aproveite para ficar ainda mais por dentro do assunto e ler sobre os três melhores canais de atendimento para lojas online.